Ola amigos que acompanham o Blog!

Esse ano que se finda estamos muito felizes com tudo o que compartilhamos com vocês e pelo retorno que sempre recebemos com incentivos para continuarmos esse trabalho.

Por isso gostaríamos de compartilhar uma retrospectiva da experiência como Médica Brasileira na Alemanha.

 

No início do ano que se finda comecei com participação na Radio FM 95,5 O Povo CBN com o querido radialista Evaristo Nogueira . Na ocasião me encontrava em Fortaleza-Brasil em viagem de visita à Família.

 

 

          

 

Depois das férias no Brasil, voltando para Alemanha,  fui literalmente sabatinada na prova oral do 03-exames laboratoriais (tricograma,, IgE total e especifica pela ReAST e Fotometria entre outros. Não adianta ter uma diploma de medicina, você sempre terá que se atualizar.

 

 

 

Mas nem tudo é trabalho, através do Blog e da página que mantenho no Facebook,  tive o prazer de conhecer alguns colegas, como Camila Toledo, Jessica Marques e Lia. Bem como a participação de colegas dando seus depoimentos no Blog como Larissa Itho, Camila Toledo, Elisa Arroque, Ana Luiza Guimarães, Karina Rosa, Milene Friedrichs, Marcelle de Magalhaes,  Marcelo Feitosa e Guilherme Santos.  Agradeço muito a colaboração de vocês.

com Camila Toledo                                                   com jessica Marques                                                                         

 

    com Lia e Monya          

 

.Voltando aos estudos com aperfeiçoamento em harmonização facial, contorno e estética. Afinal, não podemos ficar parados. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o estudo nunca é demais na Alemanha e nem fora dela. Participamos do 10th Skin Academy, encontro de Dermatologistas europeus e americanos, dessa vez acompanhada pelo maridão, também dermatologista.

Em maio participamos do der Deutschen Dermatologischen Lasergesellschaft em Hamburg.

 

 

No meio do ano fizemos uma educação médica continuada, pois na Alemanha precisamos atingir uma pontuação média com participação em cursos e eventos afins . Não tem jeito, temos que estar sempre nos atualizando. Consegui meu certificado de pontuação validado pelo Conselho Regional de medicina.

 

Ministrando mais um curso de Dermatologia Estética para médicos.

 

 

Participando de mais um evento europeu sobre tratamento para celulite. #cellfina.

Evento da Allergan Medical Institute.

 

Em Münster  palestrando sobre o tema acne pela firma Aesthetico

 

Já findando o ano fiz uma apresentação sobre envelhecimento cutâneo na minha cidade Bad Kissingen, para médicos generalistas. Lembro que deu um frio na barriga, mas no fim ocorreu tudo bem.

 

                                            

 

 

Simpósio em Würzburg sobre dermatologia na Universitätsklinikum

 

 

 

 

 

E já findando o ano, passando férias no Brasil, novamente estive com o querido Evaristo Nogueira  no programa da CBN 95,5 FM “Saúde do Povo” e com o radialista Aureliano Ramos, na Radio AM 860 participando do programa “Vida, Saúde e Política com Dignidade”.

 

 

 

 

 

 

Para fechar o ano, após as férias no Brasil, voltando para Alemanha me deparo com um convite muito especial: ser capa da revista “Der Deutsche Dermatologe” com tiragem prevista para o meio do ano de 2018. Adorei o convite. Posso compartilhar com vocês que fechei o ano muito feliz e com muitas realizações concretizadas.

Obrigada a todos e que ano que no próximo ano venham novos desafios para todos acompanhado do sucesso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOBRE


 

 

 

 

 

NA ALEMANHA

Outro dia estávamos num churrasco de uma brasileira, que tb é minha amiga e paciente, e ela me perguntou porque não tenho um marketing mais ofensivo do meu consultório e do instituto de Laser e Estética, já que aqui temos, graças a Deus, na vida real uma excelente ressonância.

Acontece que a legislação alemã é super restrita, bastante rígida, no que tange a médicos e propaganda. Não pode ser tendenciosa, não pode prometer milagres, não pode mostrar antes e depois, nao pode postar fotos que possam identificar os pacientes (se eles permitirem, tudo bem, mas não podem ser relatados quais os tratamentos realizados na pessoa). Pra se ter idéia, mesmo em congressos médicos é proibido bater foto de slides ou apresentações cuja identificação parcial do paciente possa ser realizada.
Além disso, os alemães são, em geral, bem mais avessos a plataformas virtuais que os brasileiros. 
Há um site/ uma plataforma, o "Jameda", em que os médicos podem se apresentar oficialmente, e os pacientes podem dar suas opiniões sobre o médico e os serviços ofertados. 
Para ter o seu perfil nessa plataforma, vc precisa pagar entre 700-1200 euros por ano, e, além disso, alguns perfis e opiniões extremamente positivas são "fakes"(tipo, o médico pede para amigos e parentes escreverem algo positivo mesmo não tendo sido examinados ou tratados por eles), ou, por outro lado, mesmo feitas por pacientes que querem "se vingar" do médico dessa forma - nós, por exemplo, não temos perfil oficial nessa plataforma.
Há uma brecha nessa lei: se vc tem um instituto 100% particular, vc pode ser encarado em parte como uma firma normal, com os direitos de propaganda como qualquer outra empresa. No entanto, como o controle é forte, muitas vezes mesmo os colegas com essa alternativa optam por posts discretos.
Mas nada, nada comparável o estilo "brasileiro" de propaganda médica, ou a presença ostensiva de profissionais em Facebook, Instagram & Co. Na verdade, sigo vários colegas no Brasil e eu, particularmente, curto bastante e adoro vê-los em ação e a repercussão dos posts. Porém, isso seria, atualmente, impensável aqui. Levaria, imediatamente, uma baita bronca do meu Conselho Regional.
Talvez realmente o ideal esteja num equilíbrio entre ambos os estilos.

Só pra esclarecer ;)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcelo Feitosa

 

Hallo, Leute!

Hoje recebi minha carta de aceitação preliminar no programa de doutorado em medicina experimental da Universidade de Tübingen!

Ainda falta mais uma etapa pra concretizar a ida, que é a aprovação da bolsa pelo DAAD, mas já é um grande passo...

 

Primeira coisa que aprendi nesse processo: não importa o quanto você leia e procure informações, quando for fazer pra valer, SEMPRE vai ter algo mais a ser feito. Então, tudo o que puder ser arranjado com antecedência, deve ser feito o quanto antes!

Pela experiência que tive, tudo se dá em 3 etapas:


1 - Encontrar um professor aceite te orientar, e claro, um projeto.
Essa foi a parte mais fácil pra mim, ano passado fui a Tübingen como estudante ainda, passar um mês no serviço de Neurocirurgia, lá comecei a entrar em contato com o pessoal, e achei meu orientador.
Pelo que pude perceber, eles tem muitos projetos esperando alguém pra pesquisar, pois falei com ele, e dois dias depois estava sendo entrevistado pelo mesmo e quando terminamos, ele já tinha um tópico pronto pra começar o projeto. Ao meu ver, eles querem alguém que corra atrás, que se mostre interessado.

2 - Ser aceito pela universidade como doutorando.
Foi o que conclui agora, ao receber essa carta de aceite preliminar, essa parte varia de acordo com a faculdade. Pra Universidade de Tübingen, eles tem uma inscrição a ser preenchida em parte pelo aluno e a outra pelo orientador, além de uma lista de documentos (carta motivacional dizendo o por quê de escolher o projeto e a universidade, resumo de 5 páginas do projeto, currículo, cópias do diploma juramentada e apostilada, e resultado de teste de proficiência em inglês ou alemão). 
Esses documentos são enviados para o escritório responsável, e duas a três semanas depois, no caso hoje, recebi a resposta com o aceite preliminar, sendo o próximo passo uma entrevista, com uma apresentação de 5 minutos do projeto, e uma discussão de 15 minutos com uma banca de professores a respeito do assunto, no meu caso, ainda será marcado. Quando souber mais detalhes edito aqui.

3 - Conseguir Financiamento
É o passo que vou realizar agora, pelo que já li e procurei, o jeito mais "simples" é através do DAAD, eles tem uma parceria com o CNPQ e CAPES, e anualmente eles dão bolsas pra estudantes de doutorado. Vou deixar o edital aqui embaixo. Lembrando que eles dão bolsa para o título de PhD (Doutor de Filosofia), e não o de MD (Doutor de Medicina), pois para este último deve-se ter a Approbation.
Caso se tenha capacidade financeira de se sustentar durante todo o doutorado, não há necessidade desse último passo.

https://www.daad.org.br/.../chamada-aberta-bolsas-de.../

Esse foi um tutorial simplificado, deu um bocado de trabalho pra conseguir essas coisas... :)

 

 

 

Chamada aberta: bolsas de doutorado na Alemanha

Foi lançado o edital do Programa Conjunto de Bolsas…

DAAD.ORG.BR

 

 

 

 

 

 

 

      

Elisa Bolzan Arroque

 

Eu disse que escreveria um post falando sobre mim, porque muitos perguntaram sobre o alemão e tal, o visto, a residência. Bom, aqui vai:
Eu sou de Porto Alegre, e como todo mundo sabe tem muito imigrante alemão no RS. Eu não sou uma delas, mas estudei num colégio de origem alemã. Então, aprendi alemão desde os 8 anos, saindo do colégio com nível B1. Mas um B1 forte, bem consolidado, tanto que fiquei 5 anos sem ver nada, e fiz um teste ONDAF pro ciências sem fronteiras e tirei B1. 
Fiz 1 semestre na Alemanha em Jena, pelo ciências sem fronteiras, e isso melhorou muito meu alemão, que ficou digamos, B2. 
Em Nov de 2014 voltei pra Alemanha pra estudar alemão. Vim com visto de Studiumsvorbereitung, como se fosse fazer Master, e estudei em casa. Em Fev. passei no Test DAF con 5;5;5;4, e em Maio fiz o TELC Medizin e passei com C1.
Fui pra Porto, juntei dinheiro e voltei, dessa vez com Visto de procura de trabalho. Traduzi tudo aqui na Alemanha, fiz Bewerbung, e mandei pra mais ou menos vinte hospitais. Recebi só duas respostas me chamando pra entrevista, uma em Vechta, onde estou, e outra em Fulda, onde não fui, pq já tinha dito que iria pra Vechta. Fiquei fazendo Hospitation em Vechta, enquanto entrei com os papéis pra Beruferlaubnis. Durou ca. 11 semanas, até vir a dita cuja. Comecei a trabalhar em julho, em setembro pedi a Aprobation, direto prova, e ganhei uma vaga pra prova em fev. Fiz e passei, e a aprobation veio 2 meses depois. Agora me demiti, vou pro Brasil 2 meses, e na volta, vou buscar um novo emprego em uma cidade maior. Vou ficar de novo com visto de procura de trabalho, que tirei aqui.
Minhas opiniões pessoais:
1. Não tenho como dizer qto tempo leva pra aprender alemão, ou chegar no nivel C1, pq estudei alemão a vida toda, mas eu diria que um alemão B2 dá pra obter em 1 ano, se vcs estudarem muito e conviver muito com alemães. 
2. Não façam como eu, só porque disseram sim pra um lugar, e um melhor chama pra entrevista, vai no primeiro pq é garantido e tu já disse sim e vai ficar chato. Não tem essa. Eh um mercado de trabalho, eles procuram os melhores, e vcs tem que fazer também. Primeiro que sim verbal não vale nada, o que vale é contrato assinado, segundo que o tempo de kündigung no probezeit é duas semanas, o que da tempo de trocar de hospital, e terceiro que os alemães tb vão a várias entrevistas, e não é pq tu não da tua resposta na hora, que eles não vão te escolher. Aprendam com os erros de quem podia ta na Uniklinikum em Fulda e foi parar nas vacas em Vechta.
3. Residência aqui não é como no Brasil. Na minha opinião (de quem não fez no Brasil), aqui é pior. Pelo menos no hospital que eu to. Tem zero preocupação com teu aprendizado, é cada um por si e Deus por todos. Tu tem que aprender Sono, ECHO, Kolo, Gastro, mas não tem nenhum tempo programado pra isso. Te vira nos plantões, nas horas vagas, faz hora extra, pede férias e vem nas férias (sim cara, tem gente que faz isso). Eu não concordo com isso, e fiquei muito decepcionada com o que vi e vivo aqui. Não vou embora porque quero fazer anestesio, e não precisa aprender esses aparative Untersuchung, mas quem quer Innere Medizin, aqui é difícil.
4. Ligada com a anterior, pessoal pergunta se vale a pena fazer Residência aqui ou lá pra vir. Depende muito de cada caso, do projeto de vida, do que quer fazer agora, mas eu diria assim: Em resumo, aqui é um mercado de trabalho. Não tem vaga pra iniciante como nós temos, cada hospital contrata quem quer e quantos quiser. Então, tu tem que chegar nesse mercado com as melhores armas que tu puder. A minha era a língua, experiência eu tinha pouca, mas falo alemão fluente, e meus chefes me quiseram direto. Mas pra quem ta acabando a facul e não sabe nada de alemão, talvez o melhor seria fazer a residência no Brasil enquanto aprende alemão, e depois vir. É o que a maioria das pessoas dos países árabes e leste europeu fora da EU fazem. Imagina tu competir com alemão capenga e zero experiência com um Albanês de alemão capenga, mas título de especialista na mão? Não é difícil ver quem o hospital vai contratar.
5. Venha com paciência, não com pressa. A burocracia é infinita, as coisas não se resolvem da noite pro dia, as Ärztekammer tão sobrecarregadas de trabalho. Vem com calma, organização, dinheiro pra se manter e um plano definido, mesmo que isso signifique alguns meses a mais no Brasil.
**** Surgiram dúvidas, então aqui a edição: Se vc vier como especialista, vai começar aqui como residente, a especialidade não vai ser de cara revalidada na Ärztekammer. Mas a experiência conta muito pra conseguir a vaga de emprego.
6. Seja realista quanto aonde tu vai arrumar emprego. Ninguém vai começar em München ou Berlin. É muito difícil. Pode olhar aqui no grupo, quem conseguiu trabalho em local relativamente grande, foi pra Alemanha já como especialista. Como eu disse, é um mercado de trabalho, e nós chegamos com desvantagem. E morar em cidade pequena não é fácil, pelo menos não ta sendo pra mim, que vim sozinha.

 

 

 

 

BATE-PAPO TIRANDO DUVIDAS

 
 
 
 
 

Bate-papo com dúvidas básicas para quem quer vir trabalhar como médico aqui: 

 

Só pra ver se eu entendi. Para fazer residência médica na Alemanha primeiro preciso enviar meu currículo para o departamento de meu interesse

* Isso; detalhe: currículo no estilo alemão (conciso, no máximo 2-3 páginas, com foto e carta de motivacao, em alemão, e não em inglês), não no estilo brasileiro

 

aguardo ser chamada para entrevista 

* sim, que, na maioria das vezes, é presencial

 

e ser aprovada

* Exato.

 

Assino um contrato com a instituição..

* Stop -  primeiro, eles vão te enviar um email falando da aceitação ou algo semelhante. Com isso, vc vai pedir autorização local para clinicar (Sondernerlaubnis naco §10 der BÄO), que só é válido, nessa região (tipo uma autorização regional vinculada à instituição; nem sempre esse período já conta como residência, mas vc recebe como residente). Atualmente vc tb já pode pedir a Approbation, ou autorização nacional para clinicar/atuar como médico.

 

Depois preciso revalidar meu diploma.

* Sim, precisa.

Dependendo do estado em que vc iniciar o processo (vc não pode ter vários processos andando paralelamente), precisa de nível B2/C1 de alemão médico (TELC/ Fachsprachprüfung), e uma de alemão "normal" (Goethe, testDaF, por exemplo). Às vezes tb precisa da prova de equivalência (Gleichwertigkeitsprüfung), geralmente em Clínica, Cirurgia, e outras duas matérias menores; essa prova é oral.

 

Quanto tempo demora para revalidar meu diploma? 

* Depende. 

Só se quiser "entregar a papelada" (diploma, programa de disciplinas da faculdade cursada, certificado de nível de alemão, carta-convite do departamento) e "esperar", geralmente demora 18 meses.

Se fizer todas as provas, menos de 6 meses, se vc passar em todas.

 

A autorização para clinicar entendi que demora até 8 semanas, certo? 

* Geralmente, sim. Mas como os pedidos estão aumentando, o tempo de processamento dos pedidos tb. Já soube de até 6 meses. Depende tb se o departamento em questão "botar pressão" ou não.

 

Mas nesse caso, a instituição espera todo este tempo para eu resolver esta questão de papelada burocrática para iniciar a residência? 

* Sim. Eles te ajudam nisso. Vantagem do déficit de médicos.

 

E o que você recomenda? 

* Primeiro: aprenda o idioma. É, sem dúvida, o mais importante. B2/C1 é o mínimo, vc pra se sair bem no dia-a-dia precisa de C1/C2.

 

Devo enviar vários curriculos simultâneos nas diversas instituições? 

* Sim. Mas lembre-se que dar entrada no processo de revalidação só deve ocorrer em um único estado.

 

Como saber os locais de maior demanda para médicos estrangeiros? 

* Nao tem muito como saber, pq não tem site oficial divulgando esses dados. Na verdade os estados da antiga Alemanha Oriental são os com maior déficit, mas, ao mesmo tempo, os que apresentam maior resistência a médicos estrangeiros.

 

Acha válido tentar realizar estágios como ouvinte em instituição de interesse da residência?

* Sem dúvida! Pq se eles gostarem de vc e tiverem vaga, as chances são muito maiores de vc ficar.

 

Desde já agradeço muito pelas informações

* Olha tb na comunidade "Médicos brasileiros na Alemanha" no facebook, lá tem excelentes informações.

 

Estamos às ordens!

Boa sorte!Lídia

 

 
 
ATUALIZAÇÃO DOS TRÂMITES DO DIPLOMA ALEMÃO
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este link fala sobre os atuais trâmites para se ter o diploma de médico reconhecido na Alemanha. Está em Alemão. Traz o exemplo inclusive de uma brasileira.

 

Em resumo, o mais importante é: aprenda alemão e esteja disposto a fazer provas se não quiser esperar muito. Tanto de Medicina como de alemão.

 

 

E se está reclamando pq está em alemão, melhor ir aprender primeiro mesmo :)

 

E tem uma comunidade no Facebook "Gleichwertigkeitsprüfung für ausländische Ärzte" com dados legais sobre a prova.

https://www.aerzteblatt.de/archiv/186356/Auslaendische-Aerzte-aus-Drittstaaten-Integration-mit-Hindernissen

 

 

Esse tb é bem legal: https://www.marburger-bund.de/mitgliederservice/faq-auslaendische-aerzte

 

 

 

 

 

 

 

Let's talk about money: 


Muitos me perguntam "quanto ganha um especialista" na Alemanha. A verdade é que isso depende bastante da especialidade, da região, e se você trabalha em consultório ou como médico contratado em um hospital terciário. Para que se tenha uma visão geral, com valores médios, eis dois links abaixo com valores por ano (o primeiro) ou por mês (no segundo) para algumas especialidades na Alemanha. Lembrando que aqui não tem essa de ser "concursado" ou de "Doutorado" aumentar salário (você tem Doutorado pra ser chamado de Doutor e/ou pra seguir sua linha de pesquisa e pronto, não pesa no salário; ah, e lembrando que Mestrado não existe para médicos na Alemanha). Espero que sirva de "orientação" para os colegas interessados. Abraços!!!! :)

https://gehaltsreporter.de/gehaelter-von-a-bis-z/…/Arzt.html
https://www.praktischarzt.de/blog/verdienst-gehalt-facharzt/

 

 

O valor de bolsa para residência como R1 é em torno de 2500 Euros líquidos, e isso aumenta de pouco a pouco por ano.

A Alemanha precisa de médicos sim; mas médicos bem qualificados e com pleno domínio da língua, e isso está sendo bastante reforçado nesses anos de fluxo intenso de estrangeiros.

 

 

 

Salário base líquido como residente, fica em torno de 2.500 Euros por mês: no imposto há diferentes formas de cálculo, dependendo da classe que você é inserido, por exemplo: se é solteiro, você vai para Classe 1 que corresponde mais ou menos 50/% de imposto. Para o plantão depende de quantas horas : 12,24, dependendo do serviço e se é na semana ou no final de semana. De qualquer forma você terá tudo isso detalhado no contrato de trabalho.

 

 

 

 

 

 

Contato

Médica brasileira na Alemanha

Blog

Custo de vida básico na Alemanha

02/04/2018 17:05
Sobre os custos básicos de vida na Alemanha   Oi, gente querida! Espero...

Gratidão

01/08/2017 17:31
É sempre gratificante receber o retorno de pessoas que acompanham o Blog....

Ensinar é sempre um prazer

26/07/2017 12:31
    Aqui na Alemanha também podemos, como no Brasil, oferecer cursos...

SOBRE DINHEIRO...

17/01/2017 11:42
Let's talk about money:  Muitos me perguntam "quanto ganha um...

INFORMAÇÃO IMPORTANTE

17/01/2017 11:40
  Estou compartilhando essas novas e importantes informações que recebi...
Itens: 1 - 5 de 19
1 | 2 | 3 | 4 >>